Recolocação Profissional: Dicas com a Gestora de RH e Consultora Michelle Alves

05/02/2017

O Brasil vive um momento delicado economicamente e isso gerou um número elevado de pessoas buscando recolocação profissional.

Para o pós-demissão, é preciso superar os medos e passar por um processo de autoconhecimento para ir atrás de uma nova posição. A dor do desligamento é a mesma do processo de luto quando perdemos um ente querido, contudo, é preciso analisar novas oportunidades e caminhos que surgem da maneira mais positiva.


Pensando neste momento de reorganização da carreira, preparamos um especial com a gestora de Recursos Humanos e consultora de RH Michelle Alves, onde ela falará sobre planejamento de carreira e muitas dicas sobre currículo, LinkedIn e entrevistas.


Confere aí!


Dicas para um currículo e LinkedIn atraentes.

Hoje há muitos sites, revistas, profissionais prestando o serviço de revisão de currículo para assim aumentar as oportunidades de torná-lo um perfil competitivo perante o olhar do selecionador.

A seguir as dicas que eu considero fundamental, podem até parecer clichê, mas não é.

  • Revise português e formatação do documento;
  • Faça uma síntese das suas experiências profissionais, para despertar o interesse de o selecionador querer saber mais, e assim convidá-lo para uma entrevista;
  • Não use modelos prontos da internet, construa o seu modelo utilizando essas inspirações;
  • Peça para amigos lerem o seu currículo, foque naqueles que até não conhecem muito a sua área de atuação, porque se eles falarem para ti aquilo que você quis transmitir na descrição das informações é porque o seu currículo está assertivo. Acredito que sempre podemos melhorar o currículo, quanto mais percepções melhor para aperfeiçoá-lo constantemente;
  • Tenha um currículo "modelo/padrão", mas personalize para cada vaga que for se candidatar. Exemplo: Se eu vou me candidatar para uma vaga da área comercial é fundamental eu enfatizar as experiências da área em questão ou aquelas vivências que possam demostrar que possuo uma aptidão afim com a área;
  • Coloque sempre mais de uma forma de contato: e-mail e telefones não podem ficar de fora do currículo. Sim, eu já recebi currículos sem contatos e isso acaba gerando um transtorno desnecessário.
  • Crie, atualize as informações, convite conexões a ver com a sua área, siga empresas do seu interesse no LinkedIn. Há também muitos grupos de debates de vagas e assuntos de qualquer área de atuação profissional. Seja ativo nesta rede.
  • Se cadastre no TRABELHE CONOSCO das empresas, além de enviar o currículo por e-mail. Mantenha os dados sempre atualizados, principalmente nas empresas que despertam o seu interesse.

Dicas para entrevista, como causar uma boa impressão e itens avaliados pelos recrutadores.

Considero uma conquista importantíssima ser convidado para uma entrevista, porque nos tempos de crise econômica há muitos bons profissionais no mercado e há também os profissionais que estão buscando um novo desafio. Provavelmente você não concorrerá somente com quem está desempregado. O mercado de trabalho é muito dinâmico, fique atento no que está acontecendo com o seu segmento de atuação.

Importante: cada recrutador é único, não posso generalizar o que é avaliado, mas pelas minhas experiências sugiro as seguintes dicas para o momento da entrevista:

Estude sobre a vaga e empresa. Uma das coisas que mais me deixava chateada na hora de receber um candidato era ele nem saber detalhes da vaga na qual havia se candidatado e muito menos do negócio da empresa. Se você enviou o currículo para trabalhar na respectiva empresa, quando não é confidencial, é necessário se empenhar em saber um pouco mais antes da seleção. Assim você terá chances de "vender o seu peixe" de uma forma mais atraente para o selecionador, mostrar como o seu perfil pode agregar ao negócio/atividades daquela empresa.

Evite mentiras, sempre! Não adianta, se mentir algo sério sobre uma experiência, ainda mais se for alguma técnica fundamental para desenvolver sua atividade, e for contratado será um desperdício de tempo, e você só irá queimar o seu filme. Também não ajudar dizer que é comunicativo e pró ativo, relatando situações fictícias, porque isso caíra em descrédito quando suas atitudes no dia a dia falarem por si.

Demostre interesse pela empresa faça perguntas pertinentes sobre atuação deste profissional que a organização está buscando e o negócio, isso sempre me deixava muito satisfeita na entrevista.

O nervosismo faz parte deste momento, alguns possuem mais facilidade de se comunicar e outros não curtem o momento por causa da pressão, isso é normal. Mas tente de concentrar antes do encontro, treine em casa as falas para fixar aquilo que deseja transmitir e acredite em você. Porque se for para entrevista com medo do seu perfil ser menos que os demais concorrentes, melhor nem sair de casa. Autoconfiança é diferente de arrogância.

Escute bem o que o selecionar perguntou, para ser assertivo nas respostas.

Dê sempre exemplos de conquistas/projetos que desenvolveu nos seus trabalhos anteriores e até relatos do seu desempenho acadêmico que possam agregar no desenvolvimento na sua atuação nesta oportunidade.

E por fim, pergunte sobre as etapas do processo seletivo, se o selecionador não falar durante o encontro. A expectativa pós-entrevista desperta uma angústia e isso é natural. É importante você estar ciente para ir procurando novas oportunidades, mas na expectativa de uma próxima fase ou feedback de agradecimento pela participação.

Qual a importância de ter um orientador na busca de recolocação?

Eu gosto muito de buscar pessoas na qual eu confio ou são referências na área de atuação para trocar ideias. Ter uma pessoa para compartilhar percepções, esclarecer dúvidas e sugerir novos métodos sempre é válido. Há programas de Coaching e mentorias. O importante é você analisar os métodos e perfil do profissional, para encontrar um aliado a mais nesta busca de emprego. Não existe profissional "milagroso", mas sim qualificado para orientar você neste momento importante da carreira.

Como planejar a carreira após uma demissão?

Em 2016 eu tive essa experiência, até então nunca tinha sido demitida. Alguns conselhos para esse momento? Muitos! Mais vou disponibilizar os principais, fico a disposição para trocar ideias com você, porque gosto de avaliar cada caso como único.

Dicas:

Respire fundo, sim! Sem demitido nunca será algo bom, ainda mais quando você não espera.

Reflita o porquê do motivo do acontecimento, sem mágoas pessoais. Neste momento precisamos ser maduros para compreender que o nosso ciclo foi finalizado na respectiva organização e não ficar culpado ciclano e beltrano por isso, porque não levará a nada.

Busque pessoas da sua confiança/profissionais capacitadas para trocar percepções e traçar junto contigo um plano. Você pode fazer sozinho, sim. Mas ter aliados neste momento nos dá mais forças para enfrentar essa fase.

Revise o seu currículo com as dicas já postadas aqui J

Reative suas conexões, siga empresas, participe de grupos de divulgação de vagas e esteja disponível para selecionadores no Linkedin, grupos de Facebook e sites de emprego.

Cuide da sua saúde mental: a pressão para conseguir um emprego novo é enorme e estar focado e determinado é fundamental para enfrentar os desafios do mercado de trabalho.

Boa sorte! Espero ter ajudado você com as dicas!

Profissional de Recursos humanos, perfil generalista, atuação em Porto Alegre e Região Metropolitana. Atua com foco no desenvolvimento humano e administração dos processos da área nas organizações. Possui experiências em todos os subsistemas do área de gestão de pessoas a mais de sete anos e trabalhou em empresas do segmento indústria e tecnologia da informação. Em paralelo atua como consultora Autônoma/Freelancer nas demandas relacionadas ao RH em empresas de pequeno porte e emconsultorias especializadas de recursos humanos. 

E-mail de contato: consultoriamichellealves@gmail.com 

Linkedin: Michelle da Silva Alves